sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Frase da semana

"A gourmet is just a glutton with brains."
Phillip W. Haberman, Jr.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Sem garçom

Restaurante alemão dispensa garçons e comida chega por "escorregador"

(da Agência Reuters, no UOL News, para assinantes). Clique djá!

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Top 10 do Ian

Já que não acho legal colocar aqui meus restaurantes favoritos, o Ian (meu namorado), pelo pouco tempo que tem de Brasil, já sabe quais são seus preferidos. Listo abaixo seu Top 10:

1º - Aska (já citado nos primeiros posts deste blog)
2º - Yakitori-Yá (é fã do oden)
3º - Raful (parada obrigatória para comer kibe cru no Mercadão)
4º - Tanaka (apesar de não gostar muito de sushi de toro, uma das especialidades do itamae-san)
5º - The Fifties (o indispensável Pic Burger)
6º - Shundi & Tomodachi (apaixonou-se pelo menu-degustação com iguarias)
7º - Aizomê (foi a primeira vez que gostou de polvo)
8º - Kebab Salonu (curtiu os temperos do kebab)
9º - Pastel da feira de Moema aos domingos (de pizza ou de carne)
10º - Sanduíche de pernil de barraca de estádio (o cara já virou brasileiro)

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

O cheiro do vizinho sempre é melhor


Você já deve ter ouvido essa frase: "o prato do vizinho sempre é melhor". Já sofri muito com isso, confesso. Mas hoje foi diferente, ou melhor, pior. Sem comida em casa, estava na piscina para esquecer a fome olhando pro meu pânceps, quando senti o maldito refogado vindo do primeiro andar. Com certeza era alho no azeite. Depois senti algo mais forte e artificial, parecia algum tempero industrializado para carne.
Artificial ou não, eu não estava ligando. Estava mesmo interessada no cheiro do vizinho.

Ainda hei de bater em todas as portas do prédio para provar a comida de cada um - espero que não traga reflexos pra minha próxima reunião de condomínio.

Deve ser uma maravilha comer 5 feijões com arrozes de temperos diferentes - meu sonho de menu-degustação.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

A preguiça reina - continuação sobre o Lucca

Como estou com preguiça, reproduzo aqui o que eu escrevi sobre o Lucca no site Basilico:

Chef Samuele Oliva se destaca na cozinha do Lucca
É muito gratificante quando conhecemos um novo chef que chega à cena gastronômica com tanto empenho. É o que se vê em Samuele Oliva (com passagem pelo Piselli), que comanda o recém-inaugurado Lucca, no lugar do antigo Sabuji. No ambiente, pouco foi modificado – o mais notável é o bar, que foi fechado e se tornou uma sala aconchegante para fumar um charuto e beber drinques. Já o cardápio ganhou a criatividade e o esmero do chef, montado ao lado dos proprietários Carlos Rios, fundador da Esplanada Grill e Cristal Pizza Bar, Paulo Henrique Machado e Carlos Varela, ambos empresários. O resultado está na cozinha italiana com ênfase mediterrânea, preparada sem ingredientes gordurosos, como manteiga, óleos e creme de leite, e pouca presença de sal. Este “toque saudável”, que pode representar para muitos a falta de gosto na comida, traduz o contrário nos pratos de Oliva: ressalta o sabor dos ingredientes. Para ajudar nesta emersão de aromas, o chef brinca com os sabores cítricos e especiarias, como no carpaccio de coelho com chips de batata doce, que leva limão-siciliano (R$ 24). Outros pratos que merecem atenção são o papardelle com brasato desfiado (R$ 38) – as massas são feitas na casa e o longo cozimento da carne traz um molho encorpado ao prato – e o petit gâteau de limão siciliano (R$ 12), uma versão delicada da sobremesa já desgastada nos cardápios paulistanos. (Beatriz Marques) (24/08/2007)
Lucca (r. Sabuji, 20, Jardim Paulistano, zona sul, São Paulo, tel. 0xx11/3814-1240)

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Frase da semana

Enviada pelo meu amigo Álvaro Cézar:

"
Homens são como um bom vinho. Todos começam como uvas e é dever da mulher pisoteá-los e mantê-los no escuro até que amadureçam e se tornem uma boa companhia para o jantar."

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Os imperdíveis


Uma vez ou outra, a cidade de São Paulo é surpreendida por algumas novidades gastronômicas. Para mim, as ótimas pedidas dos últimos meses são o Eñe e o Lucca.

O primeiro foi criado pelos gêmeos espanhóis Sergio e Javier Torres Martinez, que se encantaram pelo país e resolveram criar raízes por aqui. O que se encontra é uma cozinha de vanguarda, com o uso de técnicas como cozimento a vácuo e em baixa pressão, que é cuidadosamente executada pelo chef Japa quando a dupla não está em terras brasileiras. No jantar de ontem, tive a oportunidade de provar algumas delicadezas como a barriga de atum grelhada com creme de mandioquinha, molho de azeite extravirgem, tomate e azeitonas pretas - a posta se desmanchava ao toque do garfo e o creme de mandioquinha era um veludo só -, e o papada de cerdo (porco) confitado por 18 horas em azeite, quenelle de caviar e emulsão de batata - quem não é fã de gordura, não poderia nem chegar perto, mas para mim, uma gordura em pessoa, estava suculento e aromático, com o toque delicado do caviar que "quebrava" um pouco a gordura no paladar. Outro prato curioso foi o tartar de ostras servido dentro do tomate cereja (foto)- de bonita apresentação, mas sem surpresas no paladar. O único aspecto que não agradou por completo foi a harmonização com os agradáveis vinhos do Marqués de Riscal - tanto o menu quanto os vinhos eram excelentes, porém o casamento não teve um final feliz.

Num próximo post, comento as maravilhas do Lucca.